Perito Criminal em Computação, os concursos estão aí!

[Update do post em 15/06/12]

Polícia Federal divulga edital para o concurso de Perito Criminal

Dia 10/06 foi publicado o tão esperado edital do concurso de Perito Criminal da PF. O edital contempla 13 áreas diferentes de perícia e dentre elas a de computação (Área 3), que possui o segundo maior número de vagas, 18.

Os requisitos para investidura no cargo são:

Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou Engenharia de Redes de Comunicação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação.

As inscrições para o concurso devem ser feitas no período de 18/06 à 09/07. A taxa de inscrição é de R$ 150,00. A remuneração do cargo é de R$ 13.368,68.

A banca organizadora é a CESPE/UnB que já possui uma página para o concurso. E o edital completo pode ser obtido aqui.

O concurso é composto por duas etapas, a primeira possui vários exames e avaliações: prova objetiva, prova discursiva, exame de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e avaliação de títulos. Quem passar por tudo isso chegará na segunda etapa que é o curso de formação profissional que será realizado na Academia Nacional de Polícia em Brasília.

Por fim, sendo aprovado nas duas etapas o candidato poderá escolher a lotação de acordo com sua classificação preferencialmente nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima e em unidades de fronteira.

Todos os detalhes do concurso podem ser obtidos no edital. A respeito da prova objetiva, os conhecimentos específicos exigidos para o perito em computação são:

PERITO CRIMINAL FEDERAL/ÁREA 3:

1 Fundamentos de computação.
1.1 Organização e arquitetura de computadores.
1.2 Componentes de um computador (hardware e software).
1.3 Sistemas de entrada, saída e armazenamento.
1.4 Princípios de sistemas operacionais.
1.5 Características dos principais processadores do mercado.
1.6 Processadores de múltiplos núcleos.
1.7 Tecnologias de virtualização de plataformas: emuladores, máquinas virtuais, paravirtualização.
1.8 RAID: tipos, características e aplicações.
1.9 Sistemas de arquivos NTFS, FAT12, FAT16, FAT32, EXT2, EXT3: características, metadados e organização física.
1.10 Técnicas de recuperação de arquivos apagados.

2 Bancos de dados.
2.1 Arquitetura, modelos lógicos e representação física.
2.2 Implementação de SGBDs relacionais.
2.3 Linguagem de consulta estruturada (SQL).
2.4 Transações: características e análise de logs.

3 Engenharia reversa.
3.1 Técnicas e ferramentas de descompilação de programas.
3.2 Debuggers.
3.3 Análise de código malicioso: vírus, backdoors, keyloggers, worms e outros.
3.4 Ofuscação de código.
3.5 Compactadores de código executável.

4 Linguagens de programação.
4.1 Noções de linguagens procedurais: tipos de dados elementares e estruturados, funções e procedimentos.
4.2 Noções de linguagens de programação orientadas a objetos: objetos, classes, herança, polimorfismo, sobrecarga de métodos.
4.3 Estruturas de controle de fluxo de execução.
4.4 Montadores, compiladores, ligadores e interpretadores.
4.5 Desenvolvimento web: Servlets, JSP, Ajax, PHP, ASP.

5 Estruturas de dados e algoritmos.
5.1 Estruturas de dados: listas, filas, pilhas e árvores.
5.2 Métodos de acesso, busca, inserção e ordenação em estruturas de dados.
5.3 Complexidade de algoritmos.
5.4 Autômatos determinísticos e não-determinísticos.

6 Redes de computadores.
6.1 Técnicas básicas de comunicação.
6.2 Técnicas de comutação de circuitos, pacotes e células.
6.3 Topologias de redes de computadores.
6.4 Elementos de interconexão de redes de computadores (gateways, hubs, repetidores, bridges, switches, roteadores).
6.5 Arquitetura e protocolos de redes de comunicação.
6.5.1 Arquitetura TCP/IP.
6.5.2 Arquitetura cliente-servidor.
6.5.3 Redes peer-to-peer (P2P).
6.5.4 Comunicação sem fio: padrões 802.11; protocolos 802.1x; bluetooth.
6.6 Computação em nuvem.

7 Segurança da informação.
7.1 Normas NBR ISO/IEC nº 27001:2006 e nº 27002:2005.
7.2 Biometria.
7.3 Engenharia social.
7.4 Esteganografia.
7.5 Desenvolvimento seguro de aplicações: SDL, CLASP.

8 Segurança de redes de computadores.
8.1 Firewall, sistemas de detecção de intrusão (IDS), antivírus, NAT, VPN.
8.2 Monitoramento e análise de tráfego; uso de sniffers; traffic shaping.
8.3 Tráfego de dados de serviços e programas usados na Internet.
8.4 Segurança de redes sem fio: EAP, WEP, WPA, WPA2.
8.5 Ataques a redes de computadores.

9 Criptografia.
9.1 Noções de criptografia.
9.2 Sistemas criptográficos simétricos e de chave pública.
9.3 Certificação digital.
9.4 Modos de operação de cifras.
9.5 Algoritmos RSA, AES e RC4.
9.6 Hashes criptográficos: algoritmos MD-5 e SHA-1, colisões.

10 Sistema Operacional Windows.
10.1 Sistemas Windows: 2000, XP, 2003, Vista e Windows 7.
10.2 Gerenciamento de usuários em uma rede Microsoft.
10.3 Log de eventos do Windows.
10.4 Registro do Windows.

11 Sistema Operacional Linux.
11.1 Características do sistema operacional Linux.
11.2 Gerenciamento de usuários.
11.3 Configuração, administração e logs de serviços: proxy, correio eletrônico, HTTP.

12 Sistemas operacionais móveis.
12.1 Sistema iOS.
12.2 Sistema Android.

13 Governança de TI.
13.1 Modelo COBIT 4.1.
13.2 ITIL v3.
13.3 Gerenciamento de projetos com PMBOK.
13.4 Análise de pontos de função.
13.5 Atos normativos do MPOG/SLTI: Instrução Normativa nº 2/2008 (alterada pela Instrução Normativa nº 3/2009); Instrução Normativa nº 4/2010.

Boa sorte!

[Post original em 14/12/11]

Para quem tem interesse em seguir carreira no setor público e trabalhar diretamente no combate aos crimes cibernéticos essa é a hora! O cargo é o de Perito Criminal em Computação e há duas oportunidades imperdíveis que só costumam aparecer a cada quatro anos, ou mais.


Conhecendo o cargo de Perito Criminal em Computação

O perito criminal faz parte da classe policial e lida com a análise (perícia forense) de equipamentos digitais apreendidos e envolvidos em crimes. Ele não lida somente com computadores mas também com celulares, máquinas digitais e qualquer outro equipamento digital que venha a ser apreendido na cena do crime.

Eventualmente ele também poderá realizar perícias em áreas diferentes da sua formação como balística, drogas, explosivos, acidentes de trânsito, etc.

Na prática, a principal função do perito em computação é fazer a análise de um equipamento baseada nas perguntas feitas por um delegado sobre um determinado caso e após a análise fazer um relatório (laudo) respondendo as perguntas.

Um exemplo: foi apreendido um computador de um indivíduo suspeito de compartilhar pornografia infantil pela Internet. O delegado do caso vai pedir que um perito analise o computador do suspeito e responda as seguintes questões:

1) Há fotos de pornografia infantil?
2) Há vídeos de pornografia infantil?
3) Caso afirmativo, esses arquivos foram compartilhados?
4) Os arquivos podem ter sido compartilhados por terceiros sem o conhecimento do proprietário?
...

Isso é apenas um exemplo, baseado nisso o perito irá utilizar as técnicas e ferramentas de computação forense para chegar a uma resposta para cada uma dessas perguntas e no final fará o relatório.

Lembrando que ele só poderá utilizar métodos científicos, que possam ser reproduzidos por qualquer outro perito que tenha acesso ao equipamento, mais informações sobre as etapas de uma perícia podem ser obtidas aqui.

Perito Criminal na Polícia Civil do Distrito Federal

Caso tenha se animado com a ideia de se tornar um perito criminal, corra, pois a primeira oportunidade já está em cima da hora e as inscrições se encerrando. A Polícia Civil do Distrito Federal está com concurso aberto para o cargo de Perito Criminal e dentre as especialidades há a de computação e informática. O salário é bastante atraente R$ 13.368,68. Seguem mais informações do concurso:

Inscrição: 16/11/2011 a 19/12/2011
Vagas: 14 + 44 Cadastro Reserva
Taxa de Inscrição: R$ 185,00
Remuneração: R$ 13.368,68
Mais informações e edital no site da Fundação Universa.

Perito Criminal na Polícia Federal

Já a Polícia Federal, que não realiza concurso público para perito desde 2004, está prestes a lançar o edital. No máximo em seis meses sairá, isso porque já foi autorizado no Diário Oficial a realização desse certame, conforme pode ser visto aqui.

A previsão é que seja publicado muito antes dos seis meses, então é recomendável acelerar os estudos. Foram autorizadas 100 vagas para peritos em todas as áreas, creio que pelo menos umas 15 sejam reservadas para computação e salário é mais ou menos o mesmo da PCDF.

O que estudar para passar nessas provas?

Será que para passar nesses concursos é necessário ser um hacker? Não, só precisa saber bem as matérias do edital, aliás na prática e pela experiência vejo que é mais fácil um recém-formado em ciências da computação que aproveitou bem seu curso passar do que um profissional de segurança experiente que não estudou as matérias do edital.

Para o concurso da PCDF, as matérias cobradas na prova de conhecimentos específicos estão logo abaixo no final do post, lembrando que essa é somente uma etapa do concurso, há inclusive avaliação física. Creio que no concurso da Polícia Federal as matérias serão bem parecidas.

Por fim, se quiser obter mais informações sobre os concursos existem fóruns onde há discussões sobre diversos temas relacionados, um dos mais acessados é do CorreioWeb, seguem os links:


Fui concurseiro por um bom tempo, inclusive meu emprego atual entrei através de concurso público. Apesar de sempre haver algumas fraudes ainda considero o concurso público uma das formas mais democráticas de seleção, já que para passar depende de cada um.

Conhecimentos Específicos - Perito Criminal em Computação PCDF:

2.7. Tipo 7 - Ciência da Computação e Informática.

1. Fundamentos de computação.
1.1. Organização e arquitetura de computadores.
1.2. Componentes de um computador (hardware e software).
1.3. Sistemas de entrada, saída e armazenamento. Barramento de E/S.
1.4. Sistemas de numeração e codificação.
1.5. Aritmética computacional.
1.6. Características dos principais processadores do mercado.

2. Banco de dados: arquitetura, modelos lógicos e representação física.
2.1. Implementação de SGBDs relacionais.
2.2. SQL.

3. Reengenharia de sistemas.
3.1. Engenharia reversa.
3.2. Descompilação de programas. Técnicas e ferramentas.
3.3. Editores de recursos, editores de disco e editores de memórias.

4. Linguagens de programação.
4.1. Tipos de dados elementares e estruturados.
4.2. Funções e procedimentos.
4.3. Estruturas de controle de fluxo.
4.4. Montadores, compiladores, ligadores e interpretadores.
4.5. Caracterização das principais linguagens de programação (C e Pascal).
4.6. Linguagens de programação orientada a objetos (C++e Java).

5. Redes de comunicação de dados.
5.1. Meios de transmissão.
5.2. Técnicas básicas de comunicação.
5.3. Técnicas de comutação de circuitos, pacotes e células.
5.4. Topologias de redes de computadores.
5.5. Tipos de serviço e QoS.
5.6. Elementos de interconexão de redes de computadores (gateways, hubs, repetidores, bridges, switches, roteadores).
5.7. Arquitetura e protocolos de redes de comunicação.
5.8. Modelo de referência OSI.
5.9. Arquitetura TCP/IP. Serviços e principais utilitários.
5.10. Arquitetura cliente-servidor.
5.11. Tecnologias de redes locais e de longa distância.
5.12. Redes de alta velocidade.
5.13. Aplicações de redes, inclusive de telefonia, da Internet e de redes de TV.
5.14. Monitoramento de tráfego. Sniffer de rede. Interpretação de pacotes. Formato de pacotes dos principais protocolos pertencentes à família TCP/IP. Anomalias.
5.15. Princípios de redes peer-to-peer.
5.16. Funcionamento dos principais serviços de rede. Servidores de e-mail, servidores Web, servidores proxy.
5.17. Domínios, entidades de registro, servidores WHOIS.

6. Segurança da informação.
6.1. Políticas de segurança da informação.
6.2. Segurança de redes de computadores, inclusive redes sem fio.
6.3. Vulnerabilidades e ataques a sistemas computacionais.
6.4. Processos de definição, implantação e gestão de políticas de segurança e auditoria.
6.5. Ataques e proteções relativos a hardware e software, sistemas operacionais, aplicações, bancos de dados, redes, inclusive firewalls e proxies, pessoas e ambiente físico.

7. Criptografia.
7.1. Conceitos básicos de criptografia.
7.2. Sistemas criptográficos simétricos e de chave pública. Modos de operação de cifras.
7.3. Certificação digital.
7.4. Protocolos criptográficos.
7.5. Características do RSA, DES, e AES. Funções hash. MD5 e SHA-1.
7.6. Esteganografia.

8. Sistemas operacionais.
8.1. Princípios de sistemas operacionais.
8.2. Sistemas Windows e Linux: localização e conteúdo de logs, gerenciamento de usuários.
8.3. Windows 2000: log de eventos, registro, lixeira.
8.4. Sistemas de arquivos NTFS, FAT12, FAT16, FAT32, EXT2, EXT3, REISER: Características, metadados, organização física. Diretórios e direitos de acesso, compartilhamento e segurança, integridade.
8.5. Gerenciamento de memória: organização, administração e hierarquia de memória, memória virtual.
8.6. Linux: instalação e configuração dos principais serviços TCP/IP. Scripts de inicialização.

33 comentários:

  1. Por acaso sabe se eles aceitam tecnologos ou só baicharéis ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só baicharéis

      Excluir
    2. só não aceitam erro de português.
      o CORRETO é: Bachareis.

      Excluir
    3. Olha o que diz o edital: REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou Engenharia de Redes de Comunicação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação.

      Em nenhum momento ele diz se é para bacharéis ou tecnólogo, portanto bacharel ou tecnólogo pode fazer. Pois quem dita as regras do certame é o edital, se não esta explicito, não a nada que possa te excluir.

      Excluir
    4. **Não aceitam curso superior na modalidade tecnólogo para Perito.

      6 – Em relação ao Curso Superior de Tecnólogia (Tecnológo), esclarecemos o seguinte:

      De acordo com o Ministério da Educação, a graduação na modalidade de Tecnólogo decorre da conclusão de um "curso superior de curta duração que visa formar profissionais para atender campos específicos do mercado de trabalho”.

      Essa modalidade de graduação, por ser resultado de um curso de curta duração e dirigido a uma atividade específica do mercado de trabalho, é voltado para a formação de profissionais com conhecimentos restritos a uma determinada área de atuação.

      Portanto, mostra-se inadequada para as atividades inerentes ao cargo de Perito Criminal Federal, que exige domínio amplo de uma área de conhecimentos.

      Por essa razão, o edital do concurso não prevê a aceitação de qualquer curso superior na modalidade de Tecnólogo. Consequentemente, seguindo as regras previstas no edital, não serão aceitos candidatos que possuam graduações distintas daquelas listadas, salvo os casos de equivalência de cursos (mera distinção de nomenclatura), devidamente comprovados.

      **Mas o curso de graduação na modalidade tecnólogo é aceito para Agente, Escrivão e Papiloscopista.

      - O curso de tecnólogo é aceito para ingresso nos cargos de Agente, Escrivão e Papiloscopista?

      R: Os cursos superiores de tecnologia reconhecidos pelo Ministério da Educação são suficientes para atender o requisito da graduação para provimento nos cargos de Agente de Polícia Federal, Escrivão de Polícia Federal e Papiloscopista Policial Federal.

      http://www.dpf.gov.br/institucional/concursos/duvidas-frequentes

      Excluir
  2. Anônimo,
    O negócio é esperar o edital pra ver qual curso vão exigir, mas existe uma extensa discussão sobre isso nesse fórum:

    http://forum.concursos.correioweb.com.br/viewtopic.php?t=115668&start=0&postdays=0&postorder=asc&highlight=

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. cara, eu sou formado em administração e tenho pós-graduação em computação forense, tem cmo participar desse concurso?

    ResponderExcluir
  4. Anônimo,

    Infelizmente não, olha o que diz o Edital:

    REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou Engenharia de Redes de Comunicação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação.

    http://www.cespe.unb.br/concursos/DPF_12_PERITO/arquivos/ED_10_2012_DPF_PERITO_ABERTURA.DOCX.PDF

    ResponderExcluir
  5. Faço o curso de Sistema de Informação será que é aceito? O grau é de bacharel de uma universidade Estadual.

    ResponderExcluir
  6. Eu acredito que Sistemas de Informação é aceito, sendo que Sistemas e Análise de Sistemas costumam ser o mesmo curso.

    ResponderExcluir
  7. Estive lendo o edital e percebi que não enquadro nos parâmetros de ouvido e audição, pois tenho problemas auditivos. Desse forma eu seria desclassificado ?

    II–ouvido e audição:
    a) perda auditiva maior que 25 (vinte e cinco) decibéis nas frequências de 500, 1000 e 2000 Hz (hertz); b) perda auditiva maior que 30 (trinta) decibéis isoladamente nas frequências de 500, 1000 e 2000 Hz (hertz);

    ResponderExcluir
  8. Olá, meu nome é antonio e queria saber se o curso de Seg. da Informação é aceito pra esses concursos ??

    ResponderExcluir
  9. ola gostaria de saber se o curso de Redes de Computadores são aceitos no concurso?

    ResponderExcluir
  10. Na boa duvido que esses tecnicos saibam a fundo tudo isso ai. Pago pra ver.

    ResponderExcluir
  11. "Esses Tecnicos"? seria mais facio vc especificar de qual profissional esta falando, pois pagar pra ver pode sair caro.

    ResponderExcluir
  12. Gostaria de saber se o Curso de Segurança da Informação feito pela Fatec ou outra faculdade de duração de 3 anos é reconhecido aqui, obrigado

    ResponderExcluir
  13. Todas as dúvidas sobre o concurso devem ser tiradas com a organizadora do mesmo: http://www.cespe.unb.br/concursos/DPF_12_PERITO/

    Sobre os diplomas aceitos, o que o Edital diz é isso:

    2.1.6.3 CARGO 3: PERITO CRIMINAL FEDERAL/ÁREA 3
    REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou Engenharia de Redes de Comunicação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação.

    []'s

    ResponderExcluir
  14. A CONCORRÊNCIA CHEGOU A 700 POR VAGA AFF!!!

    RAFAEL BRUNO SOUSA FELIPE
    PERITO EM INFORMATICA FORENSE
    E
    AGRICULTOR FAMILIAR.

    ResponderExcluir
  15. Infelizmente quanto mais específico for sua formação mais subordinável você será!
    Apesar de ficar encantado com a possibilidade de uma oportunidade numa corporação de excelência inquestionável como a do DPF, acredito piamente que seja quase uma utopia passar num concurso deste!

    ResponderExcluir
  16. REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências da Computação, Informática, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou Engenharia de Redes de Comunicação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação.

    O Cursos listados não pedem bacharelado apenas a graduação portanto os tecnólogos podem participar tranquilamente

    ResponderExcluir
  17. **Não aceitam curso superior na modalidade tecnólogo para Perito.

    6 – Em relação ao Curso Superior de Tecnólogia (Tecnológo), esclarecemos o seguinte:

    De acordo com o Ministério da Educação, a graduação na modalidade de Tecnólogo decorre da conclusão de um "curso superior de curta duração que visa formar profissionais para atender campos específicos do mercado de trabalho”.

    Essa modalidade de graduação, por ser resultado de um curso de curta duração e dirigido a uma atividade específica do mercado de trabalho, é voltado para a formação de profissionais com conhecimentos restritos a uma determinada área de atuação.

    Portanto, mostra-se inadequada para as atividades inerentes ao cargo de Perito Criminal Federal, que exige domínio amplo de uma área de conhecimentos.

    Por essa razão, o edital do concurso não prevê a aceitação de qualquer curso superior na modalidade de Tecnólogo. Consequentemente, seguindo as regras previstas no edital, não serão aceitos candidatos que possuam graduações distintas daquelas listadas, salvo os casos de equivalência de cursos (mera distinção de nomenclatura), devidamente comprovados.

    **Mas o curso de graduação na modalidade tecnólogo é aceito para Agente, Escrivão e Papiloscopista.

    - O curso de tecnólogo é aceito para ingresso nos cargos de Agente, Escrivão e Papiloscopista?

    R: Os cursos superiores de tecnologia reconhecidos pelo Ministério da Educação são suficientes para atender o requisito da graduação para provimento nos cargos de Agente de Polícia Federal, Escrivão de Polícia Federal e Papiloscopista Policial Federal.

    http://www.dpf.gov.br/institucional/concursos/duvidas-frequentes

    ResponderExcluir
  18. Oi boa noite, eu gostaria de saber que faculdade eu posso fazer pra ser perita em informática. Posso fazer análise e desenvolvimento de sistemas sendo ele tecnólogo? Qual um que devo fazer.?

    ResponderExcluir
  19. Como o link: http://www.dpf.gov.br/institucional/concursos/duvidas-frequentes
    deixa BEM CLARO, para perito serve apenas bacharelado. Tecnólogo nem pensar...
    É só ler o link, não deixa a menor dúvida. A informação é confiável pois é da própria Policia federal.

    ResponderExcluir
  20. Será que irão aceitar Bacharel em Engenharia de Software ?

    ResponderExcluir
  21. Pode ser Perito Criminal fazendo a faculdade de Segurança da Informação??

    ResponderExcluir
  22. Olá, gostaria de saber se posso ser Perita Criminal em informática fazendo Segurança da Informação e depois pós graduação em crimes digitais, posso fazer o concurso?

    ResponderExcluir
  23. vale para qualquer área de informática desde que seja curso superior

    ResponderExcluir
  24. Olá, saberia dizer se para concorrer a perito criminal, pode ter feito um Superior Tecnólogo em Redes e Pós Graduação em Segurança da Informação ? Neste caso, a pós graduação contaria ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somente Bacharel, tecnólogo não independente da pós graduação

      Excluir
  25. Segundo a própria PF, ela não aceita curso no nível tecnólogo. Mas no edital da banca que a PF contratou para fazer o concurso não diz nada que proíba o tecnólogo, o que é muito controverso...

    Certa vez ouvi falar que tem gente dentro da PF como perito com o cargo tecnólogo, que acionou na justiça e foi ganhou a causa, ou seja, assumiu o cargo. Não sei se é verdade, se souberem alguma informação, compartilhe aqui...

    ResponderExcluir
  26. A PF vai ter que aceitar tecnólogos como peritos agora, o MPF já entrou com ACP e a juíza já deu antecipação de tutela.

    E sobre a FATEC, com certeza, uma das melhores faculdades de tecnologia que existe. É muito mais difícil entrar e se formar na FATEC em cursos de informática, do que bacharel em faculdades pagas.

    Esse negócio de curso (bacharel, tecnólogo) não conta aqui dentro da PF, isso é só pra concurso, no dia a dia mesmo se vc for bom e um policial dedicado aos poucos vai conseguir trabalhar na área que quiser e vai acabar se destacando (não pela sua formação, e sim pelo seu trabalho). Digo isso por experiência própria ;)

    Confiram abaixo um fórum que o pessoal postou a decisão da juíza na íntegra.

    http://www.itnerante.com.br/forum/topics/pf-perito-ti?id=1867568%3ATopic%3A373579&page=5#comments

    Não permitam que as más palavras e os comentários maliciosos de pessoas recalcadas desestimulem vcs de alcançarem os seus sonhos.

    Grande abraço a todos e bons estudos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou cursando Letras bacharelado em português/inglês e admiro e gosto muito dessa carreira de Perito Criminal e quero muito ser Perita Criminal, eu posso entrar em qual área cursando esse curso ou tenho que mudar para outro? Obrigada desde já.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...